segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

CPM PARTICIPA DE BANCA EXAMINADORA EM MONOGRAFIA DO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DA UCG

Com o tema "A guerra do afeganistão e o impacto na vida das mulheres", Fernanda Vieira de Melo apresentou sua monografia na tarde de 15/12/2008 na sala 201B área II da UCG para fins de avaliação da disciplina Monografia II do curso de Relações Internacionais do Departamento de História, Geografia, Ciências Sociais e Relações Internacionais da Universidade Católica de Goiás Orientadora: Prof.ª Maria Aparecida Guimarães Skorupski
Fernanda Melo deu ênfase a condição da mulher afegã vivida durante as guerras no Afeganistão e durante o Regime Talibã. Apresentou os diversos tipos de violência sofrido por elas e ainda a falta de direito das mesmas num país que não é laico e que a cultura mulçumana exige cumprimento rigoroso.
Mas apresentou o início do trabalho da líder feminista Meena que motiva criação de Associações de Mulheres na luta por direitosm, reconhecimentos e liberdade.
Fernanda convidou para compor a banca examinadora a Rosane Maria Isaac, professora da UCG e Edilamar Clarinda de Resende Oliveira, Presidenta do Centro Popular da Mulher de Goiás/UBM, além da orientadora Profº Maria Aparecida Guimarães Skorupski.

O trabalho foi julgado adequado e aprovado para a obtenção do título de graduação em Relações Internacionais da Universidade Católica de Goiás com a média 9.
Fernanda se sente motivada a contribuir com a luta das mulheres em prol do combate a violência, a discriminação e por igualdade de direitos após conhecer detalhadamente o sofrimento das mulheres afegãs.

Um comentário:

Fernanda Vieira Melo disse...

O Afeganistão é um país onde as mulheres necessitam de ajuda para a recuperação de seus direitos básicos. O Oriente Médio se encontra em constante conflito, o que dificulta ainda mais a luta das afegãs para que possam viver dignamente.
A violência doméstica é algo naturalizado no país pelo Estado e pela sociedade,onde a vida de muitas afegãs se resume aos cuidados da casa e à subordinação ao marido, que em muitos casos aplicam uma rotina de abusos e crimes contra suas esposas e até mesmo aos filhos.
Agradeço à Dila Resende pela atenção e abro espaço para qualquer dúvida ou curiosidade sobre o tema.
Fernanda Vieira de Melo